Concurso para analista de TI tem questões anuladas por plágio

A Fundação de Apoio a Pesquisa, Ensino e Assistência (Funrio) vai anular pelo menos oito questões da prova do concurso público do Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão para 200 vagas de analista em tecnologia da informação (nível superior), informa comunicado oficial da empresa.

O motivo é que um professor responsável por elaborar questões da área de segurança da informação copiou as perguntas que ele mesmo elaborou para um concurso da Universidade Federal do Rio de Janeiro (Unirio), realizado no ano passado. “Ele conseguiu copiar dele mesmo”, diz Marco Aurélio Barcelos Guimarães, coordenador de projetos da Funrio. Segundo ele, os enunciados são idênticos e as opções de respostas apresentadas são as mesmas. Os pontos das questões anuladas serão dados para todos os candidatos.

O professor foi contratado pela coordenação acadêmica da Funrio para participar da banca do concurso do Planejamento. As questões copiadas do concurso da Unirio estavam em sete disciplinas da área de informática, na prova de conhecimentos específicos. Segundo Guimarães, a parte de segurança da informação, que é a área do professor, está contida em muitos assuntos da prova de conhecimentos específicos.

“Ele teria que fornecer questões inéditas, mas a coordenação acadêmica verificou a semelhança das questões e entrou em contato com o professor, que reconheceu o erro”, conta. O professor tem especialização em segurança da informação e é profissional da área, de acordo com o coordenador de projetos.

A Funrio vai encaminhar relatório para o Ministério do Planejamento sobre o fato, apontando as irregularidades e informando que foi realizada avaliação na prova toda, verificando questão por questão, para detectar se havia outras semelhanças com outros concursos. “Esse fato não compromete a lisura do concurso”, diz Guimarães.“A gente fica chateado porque um fato como esse atrapalha o processo que foi feito sem problemas desde o início, tivemos uma logística de aplicação que deu certo”, comenta Guimarães.

O Ministério do Planejamento informou que questões técnicas do concurso são de responsabilidade da Funrio. “A coordenação acadêmica passa os procedimentos para esses professores, mas, infelizmente, foi um erro da pessoa que utilizou as questões desenvolvidas por ela própria para outro concurso.”

Fonte: Convergência Digital

Esta entrada foi publicada em Plágio de Concursos e marcada com a tag . Adicione o link permanenteaos seus favoritos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *